Capela em Espiral

_35A7168_re

Dados Técnicos

Arquitetura: NAP Architects

Localização: Hiroshima – Japão

Estrutura: S Structure

Cliente: Resort Bella Vista

Área: 80,00 m²

Ano: 2013

_35A6946

Resumo

A capela em espiral para casamentos está no jardim do resort, “Bella Vista Sakaigahama”, em Onomichi, Hiroshima. O local está a meio caminho de uma colina com uma vista panorâmica sobre a baía do Japão. Entrelaçando duas escadas em espiral, percebemos um edifício livre, de composição inédita, que, arquitetonicamente encarna o ato do casamento de uma forma pura. Uma única escada em espiral seria instável numa direção horizontal e estaria sujeita a vibração na direção vertical.

Ao juntar-se as duas escadas em espiral de modo que uma apoia a outra, produzimos uma estrutura auto-portante. Assim como duas vidas passam por voltas e mais voltas antes de unirem-se em uma só, as duas espirais se conectam perfeitamente no topo a 15.4m, para formar uma única fita. No centro do seu movimento está a capela, onde os convidados esperam a chegada dos noivos. O corredor da capela está voltado para uma árvore-símbolo existente. O altar está diante da árvore e os 80 lugares estão posicionados em frente ao mar, através das árvores.

_35A7052

Normalmente, um edifício é composto por elementos distintos: teto, parede e chão. Aqui, no entanto, as escadas entrelaçadas atuam como telhados, beirais, paredes e pisos para produzir os espaços dentro da edificação. As escadas ampliam sua largura em resposta a localização e função, como no topo, onde o casal se encontra, e onde estão as melhores vistas, e em locais onde os beirais devem ser maiores para proteger o interior do sol.

O exterior da capela em espiral é revestido com painéis verticais de madeira, pintados de branco e liga de zinco, um material resistente aos danos causados pela brisa do mar e flexível o suficiente para ser aplicado à curvatura.

Empregando a liga de zinco nas paredes, caixilhos de teto e janelas foi possível a criação de um design simples unido por meio de um único material.

_35A6516_re

A forma da construção de capelas de casamento tem seguido uma configuração linear. A noiva caminha pelo corredor com o pai, e depois da cerimônia, o mesmo corredor se torna uma via de saída para a noiva e o noivo.

Ao andar por este caminho, a cada passo desperta memórias e emoções. Felizmente, nesta capela, a cerimônia também toma forma quando a noiva e o noivo sobem as escadas separadas até a parte superior, para pedir a permissão de Deus para que possam juntar-se como um só, e declarar o seu casamento. Os dois, que viveram vidas separadas, em seguida, descem a escada juntos.

A edificação simples é composta apenas por caminhos, ao longo do qual paisagens de mar, montanhas, céu, e ilhas distantes aparecem e desaparecem sucessivamente. A capela é apenas um pequeno edifício, que se esforçou para acomodar as emoções da noiva e do noivo e os pensamentos dos celebrantes, alargando o corredor para um comprimento total de 160m e ampliando o leque de experiências. (Hiroshi Nakamura)

_35A6904

Ao conectar os quatro pontos em quatro direções, as duas escadas se aproximam estreitamente de elementos de encaixe, que produzem um aro tridimensional para resistir às forças horizontais – tornando assim as duas espirais mutuamente apoiadas e autônomas. Os pilares intermediários de 100 milímetros de diâmetro de aço sólido suportam somente a carga vertical, apoiando a espiral interior. A espiral exterior é acoplada à espiral interior, sob a forma de uma saliência. A fim de aliviar o volume de estrutura de aço na parte superior, foi utilizado um dispositivo de isolamento, como um pêndulo para construções leves. Em três locais, ao longo da escada exterior, onde sentimos uma maior preocupação com a vibração induzida pelo ruído de passos, estabelecemos um tipo de amortecedor de massa (DTM) para controlar a vibração.

Foi previsto que, quando o cume fosse removido, o edifício sofreria no máximo 30 milímetros de sedimentação de rotação sob o seu próprio peso, o que poderia fazer com que os pilares intermédios inclinassem. Assim, desenvolvemos um modelo estrutural que se aplica a uma mesma quantidade de torque reverso como a força de rotação singular predeterminada. Como resultado, os pilares, deliberadamente inclinaram-se para a construção, porém, após a conclusão da construção, obtivemos menos de 2 / 1.000 de margem de erro entre os andares. Este projeto estrutural delicado e corajoso foi criado por Ikuhide Shibata da Arup. (Hiroshi Nakamura)

As aberturas de vidro são todas diferentes em altura, espessura e forma.

Para permitir que o painel de vidro mova-se livremente sob o torque tridimensional do edifício durante um terremoto ou ventos fortes, o painel é feito com vidros parafusados (DPG) conectados à parte interna da liga de zinco.


Esse foi mais um dos Projetos apresentados no ALAC – Atelier Livre de Arquitetura Contemporânea. Um Curso gratuito que sempre está com inscrições abertas para estudantes e profissionais que buscam se atualizar.

Conheça: http://www.colegiodearquitetos.com.br/atelier-livre-de-arquitetura-contemporanea/

Uma ideia sobre “Capela em Espiral”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *