O desafio do Conforto Ambiental

O desafio do Conforto Ambiental

Prédio do arquiteto Rafael Viñoly foi considerado como o mais quente de Londres

1

O conceito de conforto ambiental é cada vez mais usado na arquitetura contemporânea, uma vez que é parte indispensável pra se alcançar a satisfação plena do usuário com relação ao ambiente construído.

 Segundo Virgínia Araújo, professora do curso de Arquitetura e Urbanismo da UFRN, “o conforto ambiental compreende o estudo das condições térmicas, acústicas, luminosas e energéticas e os fenômenos físicos a elas associados como um dos condicionantes da forma e da organização do espaço”.

            O grande desafio que os arquitetos enfrentam é o de fazer com que a obra arquitetônica corresponda – conceitual e fisicamente – às necessidades e condicionantes do meio ambiente natural.

Pra se ter uma ideia, em setembro de 2013 o edifício 20 Fenchurch em Londres, ganhou destaque internacional sendo considerado como o prédio mais quente da cidade.

Projetado pelo arquiteto uruguaio Rafael Viñoly, o edifício figura uma fachada curva e revestida por vidro espelhado capaz de criar focos de calor tão fortes que chegaram a queimar o tapete de uma loja e deixar marcas de derretimento em carros estacionados na região.

 O edifício de 37 pavimentos criou um enorme espelho côncavo que concentra e reflete a luz do sol de maneira muito forte – o que provocou uma série de danos no entorno. Na época do ocorrido, os testes de medição chegaram a apontar a temperatura do solo por volta de 92ºC. Um jornalista local provou que a alta temperatura gerada permitia até fritar um ovo em plena calçada.

A questão, é que o caso do edifício 20 Fenchurch não é o único que apresenta sérios problemas com relação ao conforto ambiental. Em linhas gerais, muitos arquitetos vivenciam problemas diários com obras falhas em função das condições do clima.

Tudo isso aponta pra necessidade de ampliação dos estudos sobre conforto ambiental, e reforça o papel da tecnologia como um mecanismo auxiliar. Além de conhecer as condições ambientais e visitar o local do projeto para obter a noção correta de todas as particularidades como percepção dos ventos, percurso do sol, ruídos acústicos e vegetação; o uso de softwares permite uma simulação da realidade e pode ser a solução frente a este desafio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *