Arquivo da tag: Daniel

Palestras TED

As Palestras TED mais inspiradoras para arquitetos

Palestras TED

A sigla TED vem das palavras Tecnologia, Entretenimento e Design. Trata-se de uma organização sem fins lucrativos cujo objetivo é compartilhar “idéias que merecem ser difundidas”. Através de suas palestras populares (TED talks), a organização já tratou de inúmeros tópicos, incluindo ciência, política, arte e design, desenvolvimento e educação sustentável, entre outros.

O TED declara em seu site que tem uma paixão por edifícios: “Grandes ou pequenos, nós estimamos as visões inspiradoras por trás deles.” E é essa admiração que tem permitido grandes arquitetos participarem das Palestras TED para compartilhar suas idéias com o público.

Diferentes pontos de vista da arquitetura, como Joshua Prince-Ramus, o arquiteto da Biblioteca Pública de Seattle, para quem um grande edifício não surge a partir de um golpe de gênio, mas uma abordagem racional e colaborativa, confrontados com as idéias de Frank Gehry, que entende cada edifício como o produto de uma forte visão individual. De outro ponto de vista, Cameron Sinclair nos desafia a projetar para causas humanitárias, apresentando um sistema de Open Network Architecture, que estaria diluindo os limites da autoria de uma obra de arquitetura e promovendo a colaboração interdisciplinar.

 A seguir selecionamos especialmente as melhores apresentações no campo da arquitetura.

1. Thomas Heatherwick: Construindo a Catedral de Semillas. 

Geralmente há uma resposta óbvia para a maioria dos problemas, no entanto, Thomas Heatherwick é um arquiteto que se recusa a tomar a rota convencional e este vídeo mostra-nos cinco projetos resolvidos através de desenhos inteligentes inspirados pela biologia.

2. Bjarke Ingels: 3 histórias de arquitetura evolutiva. 

Enquanto seus edifícios são admirados mundialmente, para Bjarke Ingels é muito mais útil e interessante a história por trás do desenho de seus projetos. Diante de sua própria história da arquitetura evolutiva, detalha como o processo de projeto reflete as teorias de Darwin, a adaptação e improvisação.

3. Joshua Prince-Ramus: A Biblioteca Pública de Seattle e outros projetos. 

Aos olhos do arquiteto Joshua Prince-Ramus, fundador do REX e OMA Nova Iorque, hiper-racionalidade significa pegar um pensamento racional, frio e duro e levá-lo a níveis extremos, quase absurdos. Este foi o processo usado na Biblioteca Pública de Seattle, no Museu Plaza em Louisville e no Teatro Charles Wyly, em Dallas.

4. Cameron Sinclair e a arquitetura de código aberto. 

Ao receber o Prêmio TED em 2006, Cameron Sinclair demonstrou como os designers e arquitetos podem ser apaixonados no momento de responder à crise imobiliária global, apresentando seu projeto para desenvolver uma rede que melhora as condições de vida a nível mundial através do projeto colaborativo.

5. Magnus Larsson: Transformando dunas em arquitetura. 

O estudante de arquitetura Magnus Larsson detalha seu plano ousado para transformar o deserto do Saara usando bactérias e um material construtivo surpreendente: a própria areia. Sua ideia é criar uma parede que possa ser projetada e construída pela própria natureza, criando espaços verdes e proporcionando locais para as pessoas viverem.

6. Julian Treasure: Por que os arquitetos precisam usar seus ouvidos.

Devido a problemas de acústica, alunos perdem 50 por cento do que os seus professores lhes dizem nas salas de aula e os pacientes têm problemas para dormir em hospitais, porque se sentem continuamente estressados. Julian Treasure convida os arquitetos a prestarem atenção à “arquitetura invisível” do som.

7. Liz Diller: Uma bolha gigante para o debate. 

O National Mall, em Washington DC é possivelmente o espaço público mais importante dos EUA. O trecho famoso já foi palco de grandes discursos públicos e de manifestações. Apesar disso, o espaço é limitado por construções de pedra em ambos os lados. O mais introvertido deles corresponde à Hirshhorn. Diller Scofidio + Renfro, buscando transformar este edifício em um espaço aberto e brilhante capaz de refletir o espírito do fórum público, propôs uma bolha de ar.

8. Frank Gehry como um jovem rebelde.

Antes de se tornar uma lenda, o arquiteto Frank Gehry faz uma revisão por seus primeiros trabalhos, desde sua casa em Venice Beach até Centro Americano em Paris, que estava em construção na época desta palestra em 1990.

9. Daniel Libeskind: 17 Palavras da Inspiração Arquitetônica. 

Daniel Libeskind desenvolve idéias monumentais. Nesta palestra ele compartilha 17 palavras sobre as quais se apoia sua visão da arquitetura – básica, arriscada, emocional, radical – oferecendo inspiração para qualquer empreendimento criativo.

10. David Byrne: Como a arquitetura ajudou na evolução da música. 

Finalizamos esta lista com um personagem que não é um arquiteto, mas sempre manteve uma estreita relação com as questões relacionadas com a cidade e com a arquitetura. Enquanto sua carreira musical progredia, David Byrne passou de seus concertos no CBGB ao “Carnegie Hall’. Byrne pergunta: É o lugar que faz a música? De tambores tocados nas ruas, passando pelas óperas de Wagner e chegando ao rock, ele explora como contexto arquitetônico levou a inovação musical.

Fonte: http://www.archdaily.com.br/br/01-175280/as-10-palestras-ted-mais-inspiradoras-para-arquitetos.